março 23, 2017

Opinião: A Carta, Sarah Blake

Título: A Carta
Título original: The Postmistress
Autor: Sarah Blake
Editor: Casa das Letras
ISBN: 9789724620015
Nº de Páginas: 352

Sinopse: Alternando entre uma América ainda resguardada no casulo da sua incapacidade em compreender o perigo próximo e uma Europa a ser dilacerada pela guerra, ""A Carta"" traz-nos duas mulheres que se descobrem incapazes de entregar corres-pondência, e uma terceira mulher desespera- da por uma carta, mas com medo de a receber. ""A Carta"", de Sarah Blake, mostra como podemos suportar o facto de a guerra prosseguir à nossa volta enquanto a vida do dia-a-dia continua. Um romance extraordinário cheio de paralelismos surpreendentes com os dias de hoje.

     Na véspera da entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial em 1940, Iris James, a dona de Franklin, uma pequena cidade em Cape Cod, faz o impensável: Ela não entrega uma carta.
     Em Londes, Frankie Bard está a trabalhar com Edward R. Murrow, na rádio a relatar o Blitz. Durante a noite num abrigo anti-bomba, ela encontra um médico de Cape Cod com uma carta no bolso, uma carta que Frankie promete entregar quando retornar da Alemanha e da França, onde irá gravar as histórias de refugiados de guerra que tentam escapar desesperadamente. Os moradores de Franklin acham que a guerra não os irá afetar, mas como o rádio de Frankie está a transmitir em direto, alguns descobrem que a guerra está prestes a começar. E quando Frankie chega à sua porta, as duas histórias colidem de uma maneira que ninguém poderia ter previsto.
      Repleta de deslumbrantes paralelos com o mundo de hoje, A Carta, é um romance arrebatador sobre a perda da inocência de duas mulheres extraordinárias - e de dois países divididos pela guerra.
 Três mulheres, uma guerra, uma carta não entregue, um segredo por revelar.


Sarah Blake nasceu em Nova Iorque. É autora de Full Turn (poesia), Runaway Girls (álbum) e estreou-se no romance com Grange House que teve, desde logo, as melhores críticas. Vive em Washington, DC, com o marido, o poeta Josh Weiner, e os dois filhos.

Sem comentários:

Enviar um comentário