abril 06, 2017

Opinião: Anna Karénina, Lev Tolstói

                                                   Título: Anna Karénina
Autor: Lev Tolstói
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722351454
Nº de Páginas: 800

Sinopse: "Anna Karénina" é um retrato ímpar, na sua riqueza e densidade, da sociedade russa de finais do século XIX, que abrange diferentes estratos da população, actividades sociais, tendências ideológicas, polémicas económicas, sociais e políticas, e que encerra uma crítica acutilante à nova aristocracia russa da época. Os dramas familiares, com os seus problemas morais, a sua busca de um ideal para a vida em matrimónio, surgem em franca ligação com o panorama geral da vida, o sistema de valores, os hábitos, os conceitos éticos e religiosos. Mas é também uma das maiores histórias de amor da literatura universal, e uma das mais trágicas, protagonizada por Anna Karénina, a bela mulher de um aristocrata muito rico e o Conde Vrônsky, um galante oficial do exército. Com "Anna Karénina", Lev Tolstói elevou à perfeição o romance de realismo social e criou uma das heroínas mais amadas da literatura de todos os tempos. A presente edição foi traduzida directamente do russo por Nina Guerra e Filipe Guerra, distinguidos com o Grande Prémio de Tradução Literária APT/Pen Clube Português.

Anna Karénina à primeira vista tem tudo para ser feliz, um bom casamento, dinheiro, reputação e dona de uma beleza ímpar, cai de amores pelo conde Vrônsky.
Konstantin Lévin, personagem biográfica do autor, um homem à procura da felicidade e de um sentido para a sua vida apaixona-se pela jovem Kitty.
O amor carnal, arrebatador, pecaminhoso e egoísta em oposição ao amor carinhoso, equilibrado e familiar.
"As famílias felizes parecem-se todas; as famílias infelizes são infelizes cada uma à sua maneira."



Lev Tolstói (1828-1910), pacifista e grande nome da literatura russa, tem perpetuadas na literatura universal duas das suas obras, Guerra e Paz e Anna Karénina.

Sem comentários:

Enviar um comentário