janeiro 26, 2017

Opinião: O Passo Constante das Horas, Justin Go

Título: O Passo Constante das Horas
Título original: The Steady Running of the Hour 
Autor: Justin Go
Editor: Bertrand Editora
ISBN: 9789722530286
Nº de Páginas: 464

Sinopse: Em 1924, Ashley Walsingham morre ao tentar escalar o Evereste, deixando a sua fortuna a Imogen com quem teve um romance mas a quem não vê há sete anos. A herança nunca chega a ser reclamada.
Em 2004, Tristan recebe uma carta de uma firma britânica que levanta a hipótese de ser ele o herdeiro direto da imensa fortuna de Ashley. Se Tristan conseguir provar que é descendente de Imogen, a herança será sua. Mas tem apenas algumas semanas antes que o prazo legal para o fazer. Dos arquivos de Londres aos campos de batalha do Somme e aos fiordes da Islândia, passando por Berlim e sul de França, Tristan tenta juntar as peças da história por detrás da fortuna por reclamar: um intenso romance dias antes de Ashley ser enviado para a Frente Ocidental e uma ousada expedição ao cume incógnito da montanha mais alta do mundo. Seguindo um rasto de pistas pela Europa, Tristan é consumido pela história de Ashley e Imogen. Mas ao aproximar-se da verdade, percebe que talvez ande à procura de algo mais do que uma fortuna.

     Quando Ashley Walsingham morre enquanto escavala o Evereste, deixa toda uma fortuna a Imogen, com quem havia tido um romance há sete anos tendo entretanto perdido o seu rasto. Sendo o parente mais próximo, Tristan é contactado para reclamar a herança, mas para o fazer tem de encontrar uma prova escrita de que Imogen é a sua bisavó. O que parece ser uma simples tarefa afinal é uma grande corrida em busca da verdade.
     Na obra temos duas perspetivas a de Ashley nos anos 1916-1924 e Tristan no presente, 2004. As narrativas de ambos parecem ser muito diferentes, a história não vai tomando o rumo que estamos à espera o que chega a tornar-se dececionante. Mas depois de pensar nisso, o fim parece mais adequado, mais justo, a maneira como Justin Go escreveu. É de certo modo aberto e vago, o que obriga o leitor a unir as pontas soltas, fazendo com que existam intermináveis desfechos.
Uma missão impossível e uma história de amor épica.


Justin Go nasceu em Los Angeles e estudou nos Estados Unidos e em Londres. Viveu em Paris, Londres, Nova Iorque e Berlim.

1 comentário:

  1. Pela sinopse parece-me um livro interessante.
    Das opiniões que estão aqui no blog, ainda não li nenhum destes livros.
    ;)

    ResponderEliminar