abril 13, 2017

Opinião: Veronika Decide Morrer, Paulo Coelho

Título: Veronika Decide Morrer
Autor: Paulo Coelho
Editor: Pergaminho
ISBN: 9789727112944
Nº de páginas: 248


SINOPSE: A 11 de Novembro de 1997, Veronika prepara-se, aparentemente, para se deitar, como todas as noites. Mas desta vez, limpa o quarto, desliga o aquecimento, lava os dentes e recolhe-se debaixo dos lençóis com um objectivo em mente. Veronika decide morrer. Esta escolha não deixa de surpreender, pois é jovem, tem um emprego razoável e vive num pequeno apartamento, desfrutando do prazer de ter o seu próprio espaço. Vai a bares e discotecas, conhece rapazes interessantes e sai com alguns. Contudo, não é feliz. Alguma coisa falta na sua vida. Por isso, da mesa-de-cabeceira tira as quatro caixas de comprimidos para dormir, tomando um de cada vez até ao fim. À medida que se aproxima da morte, Veronika percebe que cada minuto da nossa existência constitui uma escolha entre viver ou desistir. Veronika desfruta de novos prazeres e descobre que a vida tem sempre algum sentido. Mas o tempo escasseia. Veronika decidiu morrer e agora não há como voltar atrás... « No dia 11 de Novembro de 1997, Veronika decidiu que havia - afinal! - chegado o momento de se matar.» É assim que começa o romance de Paulo Coelho.

Convencida que a vida não lhe trará nada de novo além das rotinas e sensações que vivencia diariamente, Veronika decide morrer, e é no momento em que é confrontada com a sua finitude que percebe que nunca se tinha permitido viver.
Paulo Coelho apela ao inconformismo que há em nós e que nos permite ser e não só existir, porque viver é muito mais que limitar-se a estar vivo. 
"Seja como a fonte que transborda e não como o tanque que contém sempre a mesma água."



Paulo Coelho, escritor brasileiro nascido em 1947, é considerado um importante fenómeno literário do século XX, tendo visto a sua obra O Alquimista o livro brasileiro mais vendido de sempre.

Sem comentários:

Enviar um comentário